Acesse a Plataforma

Conhecer e monitorar os indicadores para gestão de pessoas é essencial para ter um panorama do desempenho interno da sua empresa. Seja qual for o tamanho da organização, com uma atuação orientada pelas métricas certas, você tem mais facilidade para tomar decisões relacionadas ao seu time, como treinar, promover ou demitir um colaborador.

Os indicadores de RH funcionam como uma referência para a mensuração dos resultados. Por meio deles, é possível descobrir se os seus colaboradores estão motivados e aptos a alcançar as metas determinadas, e se a gestão aplicada até o momento tem sido eficiente.

Com base no cenário evidenciado pelos indicadores, a empresa tem maior embasamento para implementar ações que gerem engajamento, valorizem as funções de cada profissional e resultem na sua sustentabilidade.

Quer saber mais? Confira abaixo quais são os indicadores indispensáveis para a gestão de pessoas!

1. Turnover

Também chamado de rotatividade, o turnover serve para mostrar se a sua empresa é vista como atrativa ou não para os seus talentos. Você tem demitido e contratado profissionais com frequência? Precisa buscar novas pessoas para a mesma função todo dia?

Atenção! Esse é um importante sinal de alerta de que algo está desmotivando os colaboradores a permanecer por mais tempo no seu time.

Geralmente, o turnover é analisado com base nos períodos anteriores e em comparação com outras empresas. Assim, é um indício de como os terceiros estão percebendo a imagem da organização.

O objetivo de qualquer empresa é ter um índice baixo de rotatividade, o que a mostra como um lugar favorável para o crescimento profissional e o engajamento como um todo. A análise desse indicador permite saber quais são os números e os motivos que fizeram os colaboradores deixarem o trabalho. Dessa maneira, pode-se trabalhar novas estratégias para transformar essa realidade.

2. Custos de rotatividade

Além de comprometer a imagem da sua empresa no mercado, uma alta rotatividade também gera muitos custos, que no final do mês pesam no orçamento, impedindo você de investir naquilo que realmente precisa ou de conseguir manter uma reserva financeira.

Para aplicar esse indicador, é necessário reunir todas as despesas referentes aos pagamentos das rescisões contratuais, incluindo as multas e os impostos tributários decorrentes desses processos, somando-as com os investimentos feitos em qualificações e treinamentos.

Se os seus custos de rotatividade estão altos, é o momento de repensar a sua estratégia de gestão adotando técnicas que melhorem as condições de trabalho e mantenham a sua equipe motivada.

3. Absenteísmo

Os seus colaboradores faltam com frequência e dão sempre as mesmas justificativas? Quando eles não comparecem e, portanto, não cumprem com as suas funções, a organização sente um impacto direto no fluxo dos processos internos, que inclui desde a precarização do atendimento ao cliente até a geração de custos. Por isso, é fundamental compreender quais são as razões que estão levando as pessoas a se ausentar do trabalho tantas vezes.

Por meio dessas respostas, você pode verificar se existe um motivo padrão que acarrete as faltas e os atrasos. Depois de identificá-lo, você pode desenvolver ações que aumentem o interesse do time pelas atividades.

O tipo de ação a ser aplicada depende do resultado da análise. Considere se o absenteísmo está relacionado somente a um colaborador ou ao time inteiro. Desse modo, será possível apresentar uma solução condizente com a razão identificada. Se mais de duas pessoas foram afastadas por causa de estresse, é sinal de que você deve melhorar a qualidade de vida na empresa, por exemplo.

4. Investimento em treinamento

Os treinamentos são de extrema importância para que o colaborador sinta-se preparado para realizar as suas atividades, além de contribuir para o desenvolvimento de indivíduos e times. Nessa etapa, a organização descobre quais talentos podem ser desenvolvidos e qual a melhor opção de treinamento.

A satisfação dos colaboradores com o trabalho também indica se eles necessitam de novos treinamentos. Afinal, aprender coisas novas também é um ótimo estímulo para seguir em frente dando o melhor de si.

Não basta contratar os melhores talentos, é preciso mantê-los ao seu lado e despertar neles a vontade de abraçar cada desafio proposto pela empresa. Para tanto, é preciso fazer uma combinação entre táticas que visem o desenvolvimento pessoal e a realização profissional.

Ao oferecer treinamentos com regularidade, você eleva a capacidade e a qualidade do seu time. Sem falar que traz novas possibilidades para quem está na organização há mais tempo. Algumas pessoas podem até se tornar disseminadoras de conhecimento ao receberem a missão de treinar os seus colegas.

5. Competências

A gestão de pessoas exige que o gestor leve em consideração as competências do time. A observação desse indicador releva talentos, aspectos ligados às habilidades emocionais e técnicas, e perfis de liderança.

Quando você contrata um novo colaborador, ele passa por todos os processos de avaliação que determinam se está pronto para assumir a função. No entanto, são as suas competências que vão definir, na prática, como será a sua trajetória na empresa.

Analise se o colaborador cumpre os seus deveres com excelência, apresenta competências profissionais que possibilitam o desenvolvimento do seu plano de carreira e tem um bom relacionamento com os colegas e superiores. Tenha em mente que designar a pessoa certa para a tarefa certa reduz a rotatividade, melhora os resultados e reduz os custos da folha de pagamento.

6. Cultura organizacional

Checar o nível de satisfação da sua equipe com a cultura e o clima organizacional é uma alternativa interessante para atrair e engajar os talentos na organização. Além disso, é um diferencial de qualidade do atendimento direcionado ao mercado.

Para colocar essa métrica em prática, antes de qualquer coisa, a empresa deve entender como quer se posicionar, quais são os seus valores empresariais e os valores que os colaboradores precisam ter.

Desse modo, a gestão propaga padrões positivos que incentivam o crescimento coletivo a partir de uma dinâmica estabelecida para o sucesso, que facilita a fase de adaptação e permite uma seleção de talentos de acordo com o perfil cultural da empresa.

O monitoramento dos indicadores para gestão de pessoas é uma das maneiras mais eficazes de identificar e corrigir cenários desfavoráveis, melhorando o ambiente de trabalho para todos. Porém, esse acompanhamento requer tempo, dedicação e conhecimentos específicos. Nesse sentido, contar com a ajuda dos especialistas da GP Result é a melhor solução para controlar os indicadores na sua empresa.

Precisa de suporte especializado para a gestão de pessoas da sua empresa? Entre em contato com a GP Result e descubra como podemos ajudar você!

Sônia Padilha

Sônia Padilha

Especialista em Gestão de pessoas desde 2003, com formação na Fundação Getúlio Vargas, desenvolvendo projetos para pequenas e médias empresas, em diversos segmentos. Atuação de 19 anos na área de Educação, e a última experiência acadêmica como Professor Convidado na Pós Graduação da UNINOVE nas áreas Gestão Estratégica de RH e Consultoria Empresarial. Faz parte da Diretoria da ABRH-SP – Regional Sorocaba.

Veja também

Cadastre-se para receber nossas novidades em seu e-mail: